Monthly Archives: Janeiro 2014

Ceviche de Robalo com maionese de citrinos

Imagem

Cá em casa humanos e felinos, somos grandes apreciadores de peixe (cru) (cozido o humano n.º 2 recusa-se a comer). Tendo esta premissa em mente (essa e mais mil e duzentas entre as quais milhentas receitas do Mastechef Australia) decidi arriscar-me na temerosa tarefa de preparar um ceviche. Correu muitissimo bem e aproveitei para guardar a espinha dorsal, cabeça e ovas (Lei de Lavoisier em acção) para preparar uma bela sopa de peixe à minha moda (por acaso é à moda do meu querido pai). Aconselho-vos vivamente a aguardarem novos desenvolvimentos isto se quiserem muito ver a melhor sopa de peixe do mundo =)

(receita adaptada de http://www.theguardian.com/lifeandstyle/wordofmouth/2012/sep/13/how-to-make-perfect-ceviche)

Ingredientes:

– 2 pães rústicos fatiados e torrados

Ceviche

– 1 robalo de tamanho médio (~500g)

– sumo de 4 limas

– sumo de ½ laranja pequena

– ½ malagueta vermelha (sem sementes) cortada em finas fatias

– ½ malagueta amarela (sem sementes) cortada em finas fatias

– 1 talo pequeno de funcho cortado em finas fatias

– 1 rabanete cortado em finas fatias

– ½ cebola

– 5 tomates cereja cortados em oitavos

– sal fino (ou flor de sal), pimenta verde e um fio de azeite

Maionese

– 2 c. de sopa bem cheias de maionese

– raspa de ½ limão pequeno

– raspa de 1 lima

– sumo de 1 lima

Preparação:

– Picar a cebola finamente e colocá-la em água fria durante 5 minutos, escorrer bem ao fim desse tempo e reservar;

– Preparar o robalo em filetes sem peles nem espinhas (dará aproximadamente ~250g – depende da vossa maestria na técnica de corte) e cortá-los em finas fatias;

– Esfregar o peixe com o sal e deixar repousar durante 1 minuto, passado esse tempo juntar o sumo dos citrinos e as malaguetas, deixar repousar durante ~20minutos;

– Juntar a maionese com as raspas dos citrinos e o sumo da lima e mexer vigorosamente até se obter uma consistência homogénea;

– Escorrer bem o peixe da marinada de citrinos e juntar o funcho, os tomates, a cebola e o rabanete;

– Temperar com sal, pimenta e um pouco de azeite;

– Acompanhar com a maionese e as tostas.

Muka dourada*

Anúncios

Empada de farinheira e cenas mukentas

Imagem

Na dúvida do que fazer para jantar (e havendo massas frescas cá em casa) há sempre a possibilidade maravilhosa de inventar uma empada :D. A verdade é que se a vida me der massa folhada ou quebrada rapidamente faço uma empada com elas 😀

A ideia para criar interesse neste tipo de empadas à la minute, para mim, é criar texturas e sabores diferentes de modo a que quando estamos a comê-las conseguimos sentir doce, salgado, crocante, macio, etc.

Ingredientes:

– 1 embalagem de massa folhada fresca

– ½ farinheira de Arganil

– 1 maçã Granny Smith cortada em meias luas finas (e regada com um pouco de sumo de limão)

– 50g de bacon em pequenos pedaços

– 30g de chouriço de porco preto

– 3 rabanetes lavados, com pele e cortados em finas fatias

– 3 chalotas

– 1 dente de alho

– 2 cebolinhas (spring onions) (eu uso sempre os rebentos das cebolas)

Preparação:

– Começar por saltear o toucinho com o chouriço até estar bem crocante, reservar deixando a gordura libertada;

– Aproveitando a gordura do bacon e do chouriço, saltear ligeiramente as fatias dos rabanetes (~1min) e reservar;

– Limpar a frigideira e colocar um fio de azeite, colocar a cebola e os rebentos, juntar o dente de alho e deixar cozinhar ligeiramente em lume brando, (até a cebola estar translúcida), reservar;

– Limpar a frigideira, colocar novamente um pouco de azeite e adicionar a farinheira levemente esfarelada, deixar cozinhar até estar apresentar um aspecto crocante, reservar;

– Retirar a massa folhada da embalagem (no caso era redonda) e colocá-la numa forma de mola (diâm ~18cm);

– Colocar dentro da forma, a mistura da cebola, espalhando bem para ficar uniforme, por cima os rabanetes, depois a mistura do bacon, a maçã e por fim a farinheira;

– Juntar as pontas da massa folhada e fechar bem; levar ao forno (preaquecido) a 200ºC durante cerca de 25min. ou até se apresentar com uma tonalidade bem dourada.

Muka dourada*

Strudel de pêra Nashi

Imagem

A propósito de “Happy” do Pharrel Williams, é sempre assim que me sinto sempre que estou a cozinhar =). Gosto muito de ter música para cozinhar (seja ela qual for) e cada prato é feito entre cantorias (extremamente adaptadas por mim) e danças bem interessantes =)

Este kind of Strudel foi resultado de uma massa folhada que o Continente tinha em promoção (Avé promoções do Continente =) ) e algumas pêras que tinha lá por casa a precisarem urgentemente de utilização. Ficou deliciosa, com a massa crocante e caramelizada 😉

Ingredientes:

– 1 embalagem de massa folhada fresca

– 3 pêras Nashi

– sumo de meio limão grande

– 50g de passas de uva

– 50ml de vinho do Porto

– 1 c. de sopa de canela

– 1 c. de sopa de açucar amarelo

– 1 gema de ovo batida com 1 c. de chá de leite

Preparação:

– Ligar o forno a 200ºC;

– Descascar a pêra e cortá-la em pedaços pequenos, regar com o sumo de limão e reservar;

– Untar com manteiga uma forma de mola redonda (diâmetro ~18cm), colocar a massa folhada (no caso era redonda) e reservar;

– Juntar à pêra, as passas, o vinho a canela e o açucar, mexer bem e reservar durante meia hora ou até o vinho do Porto ter sido completamente absorvido;

– Colocar o preparado dentro da forma, fechar as pontas da massa de modo a fechar bem;

– Pincelar com a gema de ovo e fazer pequenos furinhos na massa com a ajuda de uma faca;

– Levar ao forno durante ~30minutos ou até estar bem dourada.

Muka dourada*

Tie Fighter’s ramitosos*

Imagem

*(só para fãs de Star Wars)

Quem me conhece sabe da minha paixão por enchidos, em especial por farinheira =) estando eu numa saga de “o que fazer com esta bela farinheira” lembrei-me de fazer esta pequena entrada muito fácil, rápida e deliciosa.

Ingredientes:

– 1 maçã Granny Smith grande

– sumo de limão

– ½ farinheira de Arganil

Preparação:

– Cortar a maçã em meias luas finas e regá-las com sumo de limão, reservar;

– Cortar a farinheira (com pele) em fatias grossas e fritá-las com um fio de azeite durante cerca de 1 minuto de cada lado em lume forte (ou até se apresentarem douradas e crocantes;

– Com um palito fazer pequenas sanduíches com a maçã e a farinheira.

Muka dourada* e may the force be with you 😉

Costelas de cordeiro lambitosas

Imagem

Há dias em que o corpo pede comida reconfortante e que nos aqueça a alma. E nada como uma inspiração Masterchefiana para atingir esse nobre objectivo 😉

(receita adaptada de: http://tvnz.co.nz/masterchef-australia/ep-36-matt-s-asian-ribs-4997618)

Ingredientes:

– 750g de costeletas de borrego

Para a marinada

– 2 c. de sopa de açucar amarelo

– 2 c. de sopa de molho de soja

– 2 c. de sopa de de molho de peixe

– 2 c. de sopa de óleo de girassol

– 15g de pasta de tamarindo

– 2 c. de sopa de piri-piri

– 1 c. de sopa de coentros em pó

– 2 c. de sopa de de gengibre fresco ralado

– 1 c. de sopa de sal marinho

– 2 cebolinhas (spring onion) finamente cortadas

– 2 alhos picados

– 2 c. de sopa de sumo de lima

Para o molho

– 3 c. de sopa de sumo de lima

– 1 c. de sopa de vinagre de arroz

– 1 c. de sopa de açucar amarelo

– 1+1/2 c. de sopa de molho de peixe

– 1 c. de sopa de molho de soja

– 1 alho picado

– 1 malagueta fresca finamente picada (sem as sementes)

Preparação:

– Colocar todos os ingredientes para a marinada no copo da varinha mágica e triturá-los até se obter uma pasta;

– Barrar generosamente as costeletas e deixá-las a marinar para o dia seguinte;

– Para preparar o molho juntar o sumo da lima, o vinagre e o açúcar e mexer bem até o açucar estar dissolvido;

– Juntar os restantes ingredientes e reservar;

– Ligar o forno a 180ºC, colocar as costeletas num tabuleiro previamente untado com azeite e deixar cozinhar durante ~1hora ou até a carne se apresentar muito tenra (se necessário ir pincelando com um pouco mais da marinada);

– Acompanhar com o molho, batatas fritas, salada ou então apenas com pão.

Muka dourada*

Galette des Rois Mupetolles

Imagem

Como resultado de ter vários familiares emigrados em França aprendi a gostar de várias iguarias típicas dos franceses (beterraba, hás-de ser a próxima), uma delas foi este bolo delicioso que os franceses comem no Dia de Reis e, em algumas regiões, também no Carnaval.

(receita adaptada de http://www.750g.com/galette-des-rois-r31938.htm)

Ingredientes:

– 2 embalagens de massa folhada redonda

– 200g de amêndoa ralada

– 200g de açucar amarelo

– 120g de manteiga amolecida

– 2 ovos

– 1 c. de chá de açucar baunilhado

– 1 c. de sopa de rum

– 1 gema de ovo e uma gota de leite

Preparação:

– Ligar o forno a 200°C;

– Forrar uma forma de 26cm de diâmetro com manteiga e papel vegetal;

– Misturar muito bem a manteiga e os açucares. Adicionar o ovo um a um mexendo bem entre a adição;

– Juntar o rum, misturar e juntar a amêndoa;

– Colocar uma das massas folhadas dentro da forma, ajustando bem às paredes da mesma. Picar o fundo e os lados com um garfo;

– Deitar o preparado de amêndoa dentro da forma,

– Colocar a outra massa folhada por cima do preparado, ajustando bem à massa folhada da base fazendo pequenos efeitos no rebordo (podem também fazer pequenos desenhos e recortes na massa);

– Pincelar com a gema de ovo batida com o leite,

– Levar ao forno por ~30 minutos.

Muka dourada*

Truta com puré de ervilha e salada oriental

9

Dias de folga são sempre sinónimo de poder ir para cozinha e finalmente dar azo à imaginação e poder criar coisas novas e experimentar combinações diferentes. E porque o acto de cozinhar é sempre recheado de emoção gosto de o fazer sempre com alegria e boa disposição pois acredito que tudo isso se sente quando degustamos o que preparámos.

Ingredientes:

Para a Truta

– 1 Truta (usei Truta arco iris) preparada em filetes com pele

– 15g de pasta de tamarindo

– 2 dentes de alho

– sal e pimenta

– sementes de coentros

– pequeno pedaço de gengibre fresco cortado em fatias finas

– 2 chalotas (cortadas ao meio)

– azeite

Para o Puré de Ervilha

– 250g de ervilhas congeladas

– 50g de manteiga

Para a salada oriental

– 2 rabanetes

– 3 tomates cereja

– ½ pêra nashi

– 50g de rúcula selvagem

Para o molho vinagrete de gengibre e lichias

-50ml de vinagre de arroz

– 2 lichias descascadas, descaroçadas e cortadas em pequenos pedaços

– 4 fatias de gengibre fresco

– 10ml de azeite

– sal

Preparação

– Começar por preparar a truta em filetes (deixando a pele mas retirando todas as espinhas). Colocar os filetes num recipiente com a pasta de tamarindo, um pouco de sal e o alho cortado em finas fatias. Deixar a marinar;

– Colocar as lichias e o gengibre num recipiente e adicionar o vinagre, deixar marinar;

– Cortar a pêra (sem pele) em pequenos cubos, cortar os rabanetes em finas fatias e os tomates em quartos. Reservar;

– Colocar as ervilhas em água a ferver onde se adicionou um pouco de sal. Deixar cozer;

– Quando as ervilhas estiverem cozidas, escorrer, juntar a manteiga,  reduzi-las a puré (varinha mágica),  passar por um passador ou peneira até se obter um puré fino e reservar em local morno;

– Triturar a marinada de gengibre e lichias com a varinha mágica e coar para um recipiente. Ao líquido obtido juntar uma pitada de sal e o azeite;

– Numa frigideira colocar as sementes de coentros e deixá-las tostar durante 1 a 2 minutos em lume moderado. Juntar um pouco de azeite e juntar o gengibre e as chalotas;

– Deixar saltear um pouco em lume brando de modo a que o azeite fique aromatizado (~3minutos) e retirar as sementes e o gengibre;

– Colocar os filetes de truta e deixar cozinhar durante cerca de 2 minutos de cada lado (um pouco mais do lado da pele para ficar tostada);

– Servir a truta acompanhada com as chalotas, a salada e o puré. Se desejar juntar um pouco mais da vinagrete de gengibre e lichias.

Muka dourada*