Monthly Archives: Abril 2016

Tosta de petinga

61

Pelo cantar da Fuskita percebe-se que já é Primavera (ela canta aos pássaros que esvoaçam no jardim) e com esta temperatura tão agradável começam a apetecer refeições mais ligeiras assim num meio termo entre o petisco e uma refeição mais completa.

Por aqui os peixes de conserva são grandes heróis e confesso-me uma pessoa muito feliz com uma lata de filetes de atum Santa Catarina com batata doce (que saudades…) e umas fatias de broa a acompanhar. Como tal, sempre que há oportunidade utilizamos estas conservas para preparar pequenas entradas para os amigos ou mesmo, como foi o caso, preparar um jantar mais rápido e ligeiro.

Esta receita é muito barata e bastante rápida de fazer e o ideal para este fim de semana grande 😉

(adaptado da Dica da Semana de 7 de Abril de 2016 pelo chefe Hernâni Ermida)

Ingredientes:

– 1 lata de petingas de conserva

– 7 fatias de broa de milho cortadas ao meio e torradas

– 1 cebola

– 3 dentes de alho

– 1 cenoura ralada

– 3 folhas de couve branca finamente cortadas

– 1 folha de louro

– 2 colheres de sopa de vinagre de cidra

– sal q.b.

– pimenta moída na hora q.b.

– azeite q.b.

– Folhas de orégãos frescas para decorar

– Flores de cebolinho para decorar

Preparação:

– Escorrer o azeite/óleo das petingas para uma frigideira, juntar um pouco mais de azeite, colocar a cebola cortada em meias luas fininhas e o alho picado e levar a lume médio a forte até a cebola estar translúcida;

– Juntar a cenoura, a couve, o louro, temperar com sal e pimenta e levar ao lume durante alguns minutos;

– Juntar o vinagre, desligar o lume, tapar e deixar repousar por alguns minutos;

– Fazer a montagem da tosta colocando o preparado da cebola por cima da fatia de broa torrada, as fatias de pickle e depois a petinga aberta ao meio;

– Temperar com um pouco mais de pimenta moída na hora e decorar com a raspa do limão, as folhas de orégãos e as flores de cebolinho.

Muka dourada*

Anúncios

Tarte tatin de banana

60.jpgO consumo de fruta e vegetais é fundamental para uma alimentação equilibrada. Ora se essa fruta estiver caramelizada e envolta em massa folhada bem douradinha sou rapariga para também gostar 😉

Durante o Inverno a fruta principal cá por casa acaba por ser a banana por ser uma fruta mais “quente” e reconfortante, havendo sempre algumas na fruteira. Estávamos a fazer zapping quando vemos o meu “amigo” Gordon Ramsay no seu programa a fazer esta tarte com a sua filha. Confesso que não sou a maior fã da persona Gordon Ramsay mas gosto da simplicidade das receitas que ele muitas vezes apresenta e como na realidade são fáceis de fazer e com bons resultados finais 🙂

Esta receita é uma pequena bomba de hidratos de carbono e gordura mas acreditem que vale mesmo a pena e depois pensem bem, é fruta!!!

(adaptado de Gordon Ramsay)

Ingredientes:

(chávena medida de 240 ml)

– 1 pacote de massa folhada redonda

– 8 bananas médias descascadas e cortadas em pedaços de ≈ 3cm

– 1 chávena de açúcar amarelo

– 1 vagem de baunilha

– 150 g de manteiga

– Pimenta da Jamaica q.b.

Preparação:

– Ligar o forno a 200ºC;

– Colocar a manteiga no fundo de uma frigideira que possa ir ao forno (ou forma sem buraco) de 24 cm Ø, pressionando uniformemente por todo o fundo;

– Por cima da manteiga colocar uniformemente o açúcar, as sementes raspadas da vagem e a vagem em cruz;

– Moer um pouco de Pimenta da Jamaica colocando-a por cima do açúcar e das sementes de baunilha;

– Dispôr os pedaços de banana por cima do açúcar até o fundo ficar completamente preenchido;

– Colocar a massa folhada por cima das bananas, ajustando bem nos lados (aconchegar a massa para dentro) e fazer um furo no meio da massa;

– Levar a lume médio a forte para caramelizar e com a ajuda de uma colher ir colocando o caramelo que se forma por cima da massa (vai fazer com que ela fique mais crocante);

– Quando o caramelo estiver bem douradinho e começar a cheirar a banana, levar ao forno por cerca de 20 a 25 minutos ou até a massa estar bem folhada e dourada;

– Retirar do forno e deixar arrefecer um pouco, com a ajuda de uma faca libertar a massa das paredes da frigideira, desenformar e servir.

Muka dourada*

Bolo nom-nom

59No dia 25 de Março assinalou-se o início das sestas e das merendas e apesar de ter saltado a parte da sesta participei activamente no início do período merendeiro :), verdade seja dita não ouvi o cuco (é suposto ouvir-se neste dia) e as andorinhas também andavam muito arredias. Para compensar os queijos e demais iguarias preparadas pelos meus pais estavam deliciosas :), eu contribuí com este bolo super simples de fazer e que não leva nem farinha nem manteiga ou óleo (excelente para o perído após a Páscoa 😉 ). Mas desenganem-se se pensam que fica raquítico e seco, fica super-fofinho e húmido. Experimentem que vale mesmo a pena 😉

(adaptado de; Livro de Bolos e Bolinhos, Vaqueiro,1987, páginas 44 e 45)

Ingredientes:

– 6 ovos à temperatura ambiente

– 120 g de açúcar amarelo

– 150 g de amêndoas raladas

– 75 g de tâmaras picadas

– 75 g de sultanas picadas

– 1 colher de sopa de rum ou brandy

– raspa e sumo de um limão + 1 colher de sobremesa de sumo de limão

– Açúcar em pó q.b.

Preparação:

– Ligar o forno a 180 ºC;

– Forrar uma forma (Ø 24cm) com manteiga e papel vegetal (fundo e paredes);

– Bater as gemas com o açúcar até obter uma mistura fofa e esbranquiçada;

– Juntar a amêndoa ralada, as tâmaras e as sultanas e misturar bem;

– Ao preparado anterior adicionar o rum e o sumo e raspa de um limão;

– Bater as claras em castelo adicionando a colher de sobremesa de sumo de limão;

– Adicionar um pouco das claras à mistura das gemas de forma à mistura ficar menos densa. Adicionar as restantes claras de forma a apenas envolver a misturar (sem retirar o ar);

– Levar ao forno por cerca de 20 a 30 minutos (ou até o palito sair limpo);

– Retirar do forno, deixar arrefecer, desenformar e decorar com papel recortado e polvilhado com açúcar em pó.

Muka dourada*